sábado, 11 de dezembro de 2010

Mais kart... Desta vez prova de Endurance...

Ontem eu recebi um e-mail do Mingo querendo saber quem estava disponível para participar de uma prova no Kartódromo de Interlagos.

Tem corrida de kart, tô dentro! kkkkkkkkk

E como foi legal, viu!

Tratava-se do 1º Torneio 5 Horas Endurance - ADC Mercedes-Benz, com apoio da Sabesp e participação de 73 pilotos divididos em 13 equipes.

Endurance é uma prova de longa duração, onde os pilotos de cada equipe vão se revezando.

O Parakart esteve lá a convite da Sabesp, e mandamos bem viu... kkkkkkk

Após alguns probleminhas no início da prova, cada piloto que foi pra pista deu o seu melhor, e aos poucos fomos recuperando posições. Largamos em 12º, e ao final da prova chegamos num maravilhoso 4º lugar.

Tava um dia lindo, um calor danado, e a disputa correndo solta na pista.

Quando chegou minha vez d eir pra pista, começou a bater um ventinho estranho, umas nuvenzinhas foram se aproximando, e foi só eu completar minha primeira volta que desabou um verdadeiro dilúvio... kkkkkkkk

Galera, choveu muito mesmo. imaginem eu naquele temporal, correndo com pneu liso (pra pista seca). Pista alagada, quando passava numa poça, parecia uma onda me incobrindo.

Como pra mim "quanto pior, melhor", nem preciso dizer como foi divertido correr nessas condições... kkkkkkkk

Coloquei em prática o que aprendi no Brasileiro 2009, quando corremos pela primeira vez na chuva.

E até que não fui mal. Peguei em sexto e entreguei em sexto.

Daí o Rafael entrou, e conduziu nosso kart ao quarto lugar. O primeiro pódio e o primeiro trofeu por equipes do Parakart.

Fazer parte desse momento histórico pra gente foi algo indescritível.

E rendeu frutos, como vocês poderão ver nas minhas próximas postagens.





sábado, 27 de novembro de 2010

Foi pancada pra todo lado... kkkkkkkk

E finalmente tive o gostinho de participar de uma 500 Milhas.

E como foi? Ora, o título do post diz tudo... hehehe

Galera falou o seguinte pra mim: Alex, sabe aquela paradinha que a gente dá na saída dos boxes antes de voltar pra pista? Não pare. Feche os olhos e entre, senão não vai conseguir sair do lugar.

Então eu fiz né... kkkkkkkkk

Galera, é muito carro, é muito doido!

Em curvas onde eu normalmente frearia, nem freava. Aliás, não adiantava frear, porque o carro de trás vinha e empurrava.

Em curvas super fechadas, eu olhava pra um lado tinha carro, olhava pro outro, tinha carro, atrás, tinha carro. E pancada de todo lado... kkkkkkkkk

Se eu sobrevivi a isso, sou capaz de passar por qualquer coisa.

Aquelas pancadinhas que eu tomava nas disputas do Parakart e que tanto reclamava, não reclamo mais. É tudo fichinha se comprado com as 500 milhas... kkkkkkkk

Pra terminar, uma fotinho minha no kart, que resume tudo... kkkkkkkkk

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Um pouquinho sobre as 500 Milhas de Kart Granja Viana...

"As 500 Milhas da Granja Viana foram criadas em 1997 para servir de festa de encerramento da temporada automobilística. Começou com grid relativamente baixo, mas revelou de cara um nome que se transformaria num dos principais pilotos brasileiros de todos os tempos - Felipe Massa. Ainda em início de carreira, Felipe integrou o time que venceu a edição pioneira. Revelou também uma superequipe, formada por Rubens Barrichello e Tony Kanaan e que se transformaria na maior referência da prova, com oito títulos conquistados até agora, vários deles na companhia do dublê de piloto e promotor Felipe Giaffone e outros com parceiros eventuais como o próprio Massa, Lucas di Grassi e Christian Fittipaldi. Além disso, com o ganho de projeção que adquiriu ao longo do tempo, atraiu personagens ilustres das mais importantes categorias do automobilismo mundial no auge da carreira, como Juan Pablo Montoya, Alex Zanardi, Dan Wheldon, Jimmy Vasser e vários outros.

O atual campeão Felipe Massa é a ausência mais sentida. O piloto da Ferrari embarca nesta sexta-feira para Valência, onde participará do Ferrari Day ao lado do companheiro Fernando Alonso. A briga pela pole deverá ser intensa e envolver as equipes que dominaram os ensaios desde a abertura da pista na terça-feira, entre elas as lideradas por Barrichello, Bia Figueiredo, Vítor Meira e Nelsinho Piquet. Entre os especialistas estão o italiano David Forè, penta mundial, e Rubens Carrapatoso, campeão mundial em 1998."


Fonte: Hot Site oficial das 500 Milhas de Kart Granja Viana 2010

Eu e o Parakart nas 500 Milhas de Kart Granja Viana

Para quem não sabe, essa é considerada umas das mais tradicionais provas de longa duração dessa categoria no mundo!

É disputada desde 1997, e dela participam os principais nomes do automobilismo brasileiro, além de vários nomes de prestígio internacional.

O Parakart, claro, estará presente. Incluindo o cabeçudinho aqui.

Hoje estavam previstos dois treinos. O primeiro transcorreu sem problemas. Eu iria pra pista no segundo treino, mas a chuva levou meus planos por água abaixo, literalmente... kkkkkkk

Mais um desafio pra mim. Sábado vou pra pista sem conhecer o carro (cujo motor é 30% mais rápido que os utilizados pelo Parakart). Quanto ao traçado, me restou ficar observando e fazê-lo na cabeça. Pelo menos conhecemos bem as retas e curvas da Granja Viana.

Por falar em curvas, as mais belas e perigosas ficam fora da pista... Se é que me entendem kkkkkkk

Nem posso ficar falando muito, mas quem já esteve num evento desses, sabe que é nervoso viu! Affffff! Depois publico umas fotos... hehehe

Hoje passaram por mim a Bia Figueiredo e o Rubinho Barrichello, mas deixei a tietagem pra sábado... hehehe

Bom, por enquanto é isso... Obrigado a todos que entram nisto aqui!

Beijo pra quem é de beijo e abraço pra quem é de abraço! :)

sábado, 13 de novembro de 2010

C´est Fini... :)

Depois da sua temporada mais disputada, chegou ao final a Copa São Paulo de Parakart 2010...

O título ficou com o Rafael Rodrigues. Muito merecido, na minha opinião, afinal o cara vinha de três vices (dois no Brasileiro e um na Copa São Paulo 2009).

O segundo lugar ficou com o Thiago Cenjor, o terceiro com o Stéphane Malle (vencedor desta última etapa) e o quarto com o Daniel Moraes.

Na disputa pelo quinto lugar, o José Pacheco levou a melhor. Merecidamente, aliás, pois ele deu show e abocanhou o segundo lugar na etapa.

Eu já sabia que teria dificuldades, mas mesmo assim larguei em sexto e cheguei em nono. Com isso conquistei oito preciosos pontos.

Resultado: terminei o campeonato num delicioso sexto lugar!

Pra quem acha pouco, é a mesma posição conquistada pelo Felipe Massa no campeonato de Fórmula 1 deste ano... hehehe

Meu próximo desafio é fazer um bom papel nas 500 Milhas de Kart Granja Viana.

E depois, só em março do ano que vem. Já estou com saudade dessa adrenalina toda hehehe... :)

Classificação final da Copa São Paulo de Parakart 2010:


500 Milhas de Kart Granja Viana:
27 de Novembro de 2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Reta final de campeonato...

Pois é, amigos...

Sábado é dia da última etapa da Copa São Paulo de Parakart 2010.

Pra mim foi um ano muito vitorioso, e sobre isso falarei depois. Mas independente do resultado de sábado, estou feliz dimais da conta sô! hehehe

Hoje eu treinei, e sinceramente já saí mais otimista de um treino. Com uma boa dose de sorte, eu chego ao pódio. Mas o mais provável é terminar o ano brigando por alguns preciosos pontos.

Com o campeonato praticamente decidido, a briga boa está pelo quinto lugar. São cinco pilotos com chances, e eu inicio essa disputa com uma vantagem de cinco pontos.

Agora é conter a ansiedade e dar o meu melhor no sábado... Até lá! :)

Após 9 etapas:


Última etapa da Copa São Paulo de Parakart:
13 de Novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Pra ver o tempo passar...

Entre uma corrida e outra, eu fico procurando algo pra ocupar meu tempo livre.

Dia desses resolvi trocar todos os interruptores e tomadas do apê.

Minha nova mania é montar quebra-cabeças. Comecei por este aqui:


Ele tem 3.000 peças, e gastei exatas 110 horas distribuídas em 11 dias para montá-lo (com participação especial da minha mãe, sempre incentivando minhas doideiras kkkkkkk).

Amanhã vou comprar cola, pra depois emoldurá-lo. Vai ficar bem legal na parede. Galera vai entrar e dar de cara com ele... kkkkkkk

E já vou comprar mais um, desta vez de 2.000 peças.

E tô a fim de comprar também um daqueles modelos Revell.

O lance é manter a cabeça ocupada e as mãos longe do teclado do PC... kkkkkkkk

sábado, 23 de outubro de 2010

Classificação da Copa São Paulo de Parakart 2010

Após 9 etapas:


Última etapa da Copa São Paulo de Parakart:
13 de Novembro de 2010

Definitivamente na luta...

Dia de corrida é sempre assim...

Na noite anterior eu fico tão ansioso que acabo perdendo o sono. Fico que nem uma coruja na net e na TV, e no fim das contas durmo umas quatro ou cinco horinhas no máximo.

Ao acordar, vou logo ligando o PC pra ver algumas imagens do kartódromo (as corridas têm transmissão ao vivo pela net). Também corro olhar pro céu, torcendo pra não ter sinais de chuva.

E justamente foi essa a minha primeira preocupação. O tempo estava realmente nublado, com grande possibilidade de chuva.

Botei meu macacão, minhas botas, peguei minha bolsa com o capacete e o restante do equipamento e segui pro kartódromo.

Passei as quase duas horas que antecediam a corrida olhando pro céu carregado.

Chuviscava, parava, chuviscava de novo, parava de novo. Por várias vezes dissemos uns aos outros: Ih, não vai rolar. Já era. Fica pra próxima.

A cinco minutos para nossa tomada de tempo, ainda caiam gotículas de chuva. Mesmo assim fomos para a pista, na esperança de fazer pelo menos a classificação.

Mas aí acabou dando tudo certo, a chuva foi embora e teve classificação e corrida.

Na minha primeira volta rápida, eu subi pra terceiro. Depois caí pra sexto e mesmo dando o meu máximo, não consegui melhorar minha posição.

Fiz uma boa largada, e procurei evitar acidentes. Caí uma posição na primeira curva, mas encontrei um lugarzinho ali em sétimo.

A partir daí, a estratégia era me manter próximo dos carros da frente, e lá pelo meio da corrida entrar forte na briga por um lugar no pódio.

Mas logo na terceira volta, dois carros que estavam à minha frente se enroscaram e subi pra quinto. Pouco depois outro carro teve problemas e subi pra quarto.

Os três primeiros estavam disparados na minha frente, mas por outro lado eu conseguia manter confortáveis três segundos de diferença pro pelotão que vinha atrás.

Mesmo mantendo um ritmo mais lento do que poderia, eu percebi que era mais rápido que o pelotão de trás. Na minha frente, simplesmente os três pilotos que lideravam o campeonato.

Até brinquei depois da corrida, dizendo que assisti a corrida de camarote, do melhor lugar do kartódromo... hehehe

Resultado final: um maravilhoso quarto lugar (considerando as provas de Valinhos, já são seis pódios consecutivos), que me fez subir de nono para quinto no campeonato, com cinco pontos de vantagem para o sexto.

Dia 13 de novembro vai rolar a última etapa da Copa São Paulo 2010, e definitivamente estou na briga pelo quinto lugar.

Resultado dos sonhos, para quem há quatro corridas era 14º... hehehe

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Treino para a penúltima etapa da Copa São Paulo...

Para quem frequenta isto aqui e ainda não sabe, semana de corrida é assim: treino na quarta para conhecer o traçado e corrida no sábado.

O treino da quarta serve também para dar umas arriscadinhas, descobrir a melhor maneira de atacar as curvas e em quais delas é desnecessário usar os freios.

Claro que as pessoas curtem mesmo as retas, afinal elas querem velocidade. Mas as corridas são decididas mesmo nas curvas.

Contornar bem uma curva significa velocidade maior na reta e uma chance maior de ultrapassagem, ainda mais se a gente tem coragem suficiente pra frear "pra lá do Deus me livre", como eu costumo dizer... kkkkkkk

Sobre o treino desta quarta, mais uma vez saí super satisfeito. O traçado é bem a minha cara, com uma ótima sequência de curvas (o meu forte). Além disso, o traçado inclui o chamado "curvão", uma curva inclinada, feita com pé embaixo, e que antecede a curva da reta principal, também feita tuchando o pé. Com isso chegamos ao final da reta principal com aceleração plena, no limite do Parakart.

O único porém do traçado é uma curva feita à esquerda, onde o fundo do kart inevitavelmente bate forte no chão.

É mais uma corrida com grande chance de pódio. Resta torcer pra tudo dar certo no sábado.

Lembrando que nesta reta final de campeonato, eu entrei na briga pelo quinto lugar... :)

sábado, 25 de setembro de 2010

Classificação da Copa São Paulo de Parakart 2010

Após 8 etapas:


Penúltima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
23 de Outubro de 2010

E foi num dia muito especial...

Quis o Pai do Céu que a minha melhor corrida coincidisse com uma data muito, muito especial: o aniversário da minha mãe!

Ela é minha companheira, minha grande apoiadora e incentivadora, e claro que dedico a ela este grande resultado.

Além disso, foi muito legal ela receber não apenas o meu carinho, mas o de toda galera do Parakart, como vocês poderão ver no vídeo abaixo.

Parabéns, mãe! Você merece! Beijos e que Deus te abençoe! :)

A melhor corrida da minha vida!

Ah, nem dava pra dar outro título para este post. Apesar da minha "vida de piloto" ter começado apenas no ano passado, posso dizer sim que mandei bem pra caramba... hehehe

Em segundo no grid, consegui uma excelente largada e pulei pra primeiro antes da primeira curva. A partir daí foram praticamente dez voltas na liderança, sofrendo uma pressão incrível do Rafael (simplesmente o líder do campeonato 2010, além de duas vezes vice campeão brasileiro e uma vez vice na Copa São Paulo). E apesar dessa pressão toda, consegui me manter concentrado e praticamente não cometi erro nenhum.

Só que... o Rafael é muito bom (vide o currículo do cara ali em cima), e no meu único vacilo me ultrapassou, muito mais por méritos dele do que por falha minha.

O legal é que a tendência daí pra frente seria receber pressão do Stéphane e do Thiago, que vinham logo atrás. Mas a pressão não aconteceu, e bastou eu manter a concentração nas cinco voltas finais e garantir meu melhor resultado até hoje pela Copa São Paulo.

Além disso, foram vinte pontos preciosíssimos que, combinados com a falta de sorte dos meus adversários, me colocaram na briga pelo quinto lugar da Copa.

Hoje estou em nono, mas apenas nove pontos me separam do quinto, a duas corridas do final.

Que essa tsunami de sorte continue, e na próxima etapa eu consiga mais uma boa corrida.

Estou mais confiante do que nunca! :)

domingo, 19 de setembro de 2010

Sim! Sim! Sim! Aconteceu de novo!

Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar?

A resposta é Sim!

E a prova disso é que... Sou bicampeão em Valinhos! hehehe

E foi um dia muito especial por outros motivos. Conheci pessoalmente um casal de amigos depois de dois anos de amizade virtual, e meu filhote foi torcer por mim com a namorada.

Juntando com a minha mãe, foram cinco pessoas... Minha maior torcida... kkkkkkk

Bom, vamos à história da corrida...

Eu brinquei muito com a história de ser o primeiro campeão de Valinhos, e que ia pra lá defender o meu título, etc. Mas a verdade é que eu ficaria muito feliz com um lugar no pódio.

Tanto que minha primeira preocupação foi saber quantos pilotos correriam e quantos iriam ao pódio.

Aí veio a primeira surpresa: somente sete pilotos iriam correr, e seis seriam premiados. Desses sete que correriam, três não conheciam a pista.

Isso me colocava na briga pelo terceiro lugar, já que na minha opinião a vitória ficaria entre dois pilotos: O Stéphane e o Rodolfo.

Com o pódio praticamente assegurado, só me restava fazer uma corrida sem erros, como sempre.

A próxima surpresa foi que, devido a problemas na cronometragem, o grid de largada foi sorteado. Claro que eu larguei lá atrás né? kkkkkkk

Com o acidente do Mario na classificação, apenas seis carros largaram. Com o Stéphane largando em sexto, a corrida estava na mão do Rodolfo, que largou em segundo. E eu, na quinta posição, mais do que nunca faria uma corrida de espera.

Quando a corrida começou, eu usei a experiência e fui fazendo a minha corrida. Entre acidentes e ultrapassagens, ganhei uma posição, depois outra e outra.

Lá pelo meio da corrida eu já era o segundo. O Stéphane vinha em quarto e o Rodolfo em quinto, depois de bater.

Foi quando eu pensei: Agora que eu estou em segundo, quero ganhar essa bagaça. Agora eu vou mesmo correr pra defender meu título.

E foi uma corrida maravilhosa, cheia de emoção. O Romar, que havia largado em primeiro, fez uma corrida brilhante. Tentei ultrapassá-lo de todas as formas, mas ele não deu uma brecha sequer.

Ou melhor, deu apenas uma brecha, e foi por ali que eu passei.

A essa altura faltavam cinco voltas para o final, e foi só manter a concentração e levar o carrinho até ao final.

Não comemorei muito por causa de um acidente na última volta com o Popó. Mas confesso que nem isso me tirou o delicioso sabor da vitória.

Diferente da primeira, essa vitória não veio por sorte, e sim depois de muito esforço e competência. Até ali foi a minha melhor corrida.

Ao final de tudo, muita alegria e brincadeiras.

Não vejo a hora de voltar a Valinhos... hehehe





domingo, 29 de agosto de 2010

Sobre a Copa São Paulo...

Como eu falei algumas postagens atrás, depois do começo de campeonato horroroso que eu fiz, deixei de me preocupar com a classificação e passei a correr atrás apenas dos pódios.

Mas confesso que depois dos últimos resultados voltei a me animar.

Ao observar a tabela, percebi que hoje existem três disputas distintas: quatro pilotos lutam pelo título, quatro lutam pelo quinto lugar e quatro lutam pelo nono lugar.

Eu entrei nesse terceiro grupo. Hoje sou o décimo, dois pontinhos atrás do nono. A partir daí fica muito difícil conseguir uma posição melhor, já que 19 pontos separam o oitavo do nono, e num campeonato tão equilibrado, essa é uma diferença imensa.

De qualquer forma, se eu conseguir o nono lugar será uma evolução em relação ao ano passado, quando fui 13º. Ainda mais depois do meu início ruim, o nono lugar é uma posição muito digna, e eu vou atrás dela.

Motivação não me falta. :)


Próxima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
25 de Setembro de 2010

sábado, 28 de agosto de 2010

Bom dimais da conta, sô!

Caras, acreditem ou não... eu consegui mais um pódio!!!!! Uhuhuuuuuuu!!!!!

Foi a velha história de sempre: fiz um ótimo treino na quarta-feira, e hoje, na classificação, mandei bem de novo e consegui um excelente segundo lugar no grid.

E tem mais: pela primeira vez eu briguei de verdade pela pole. Estava super confiante, super à vontade no carrinho, e disputei a pole volta a volta, até o finalzinho da classificação.

Na largada eu perdi uma posição, e ao longo da corrida perdi mais duas. Ainda assim fiquei mais do que satisfeito com o quinto lugar.


Confesso pra vocês que ainda não me vejo no mesmo nível dos caras que brigam pela vitória, então o que eu quero mesmo é pódio e trofeuzinho. Chegar em quarto, quinto ou sexto pra mim dá na mesma, o que vale é trazer um trofeuzinho pra casa.

Pode parecer um pensamento meio modesto, até mesmo derrotista, mas quando vejo que ao final da corrida chegaram à minha frente apenas os quatro pilotos que estão na briga pelo campeonato, eu já me sinto um vencedor.

E numa dessas eles dão um vacilo e eu vou pras cabeças... hehehe


Próxima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
25 de Setembro de 2010

sábado, 7 de agosto de 2010

De volta ao pódio, que delícia!

Definitivamente a minha má fase passou, e em grande estilo.

Vencer em Valinhos foi maravilhoso pelo resultado em si, mas sempre fica aquela sensação de que foi apenas uma corrida de demonstração, de que foi sorte, de que as feras não estavam todas lá, etc.

É na Granja Viana que o bicho pega pra valer.

Então eu precisava muito de um bom resultado na Granja pra afastar qualquer dúvida de que posso brigar de igual para igual com os outros pilotos.

E o resultado veio!


Larguei numa excelente quarta posição, subi para terceiro na largada, depois perdi uma posição e cruzei a linha de chegada em quarto lugar, minha melhor posição na Granja!

Após largar na quarta posição, a estratégia era fazer uma corrida conservadora, sem erros, administrando o resultado. E foi exatamente o que eu fiz.

Procurei fazer um traçado defensivo, sem dar espaços para ultrapassagens. Isso fez com que eu mantivesse um ritmo mais lento que os outros pilotos, e consequentemente sofresse algumas pressões.

Mas consegui administrar bem a corrida, chegar no quarto lugar e trazer um trofeuzinho para casa!

Com esse já são três no ano. Restam quatro corridas, e se eu conseguir mais um ou dois trofeus já está bom demais! :)




Próxima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
28 de Agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Novos ares...

Puxa, parece que finalmente as nuvens negras se dissiparam.

Começou com a disputa do Campeonato Brasileiro, onde repeti o oitavo lugar do ano passado e voltei a andar entre os dez primeiros depois de três longas corridas.

Aí veio aquela corrida maluca em Valinhos, onde mais maluca ainda foi a minha vitória... hehehe

Hoje eu novamente acelerei meu kart 34, no treino para a sexta etapa da Copa São Paulo de Parakart.

Mais uma vez fiz um bom treino, e estou muito confiante para a corrida de sábado.

A vitória em Valinhos realmente tirou um peso enorme das minhas costas. Eu comecei o ano animado, depois veio a frustração e agora estou com uma sensação gostosa de missão cumprida. Embora esteja apenas no 14º lugar do campeonato, a primeira vitória literalmente salvou o meu ano.

Daqui pra frente o que vier é lucro, e acima de tudo, acreditem: estarei me divertindo. :)


Próxima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
07 de Agosto de 2010

domingo, 25 de julho de 2010

Um dia muito, muito especial (parte 2)

Quando vi a lista da galera que ia pra Valinhos, confesso que minhas pretensões de pódio diminuiram bastante.

Afinal, dos oito primeiros no Brasileiro, seis estariam em Valinhos.

A esses seis, podíamos somar outros dois que não correram na Granja Viana, mas que haviam treinado em Valinhos e estavam entre os favoritos para a corrida.

Ou seja, na melhor das hipóteses eu brigaria por um sétimo lugar, e já que apenas os cinco primeiros estariam no pódio, não seria dessa vez que eu traria um trofeu para casa.

Felizmente pra mim, na prática a teoria é outra... hehehe

A pista era uma doideira. O circuito foi montado dentro de um parque, o asfalto estava soltando, a pista era super estreita e perigosa, os pneus patinavam como se estivéssemos na chuva. Enfim, as condições mais adversas possíveis.

Eu costumo dizer que, pra mim, quanto pior, melhor. Então estava curtindo demais aquilo tudo... hehehe

Veio a classificação, e a primeira surpresa do dia: marquei o terceiro tempo.

Numa pista com pouquíssimos pontos de ultrapassagem, era um passo enorme rumo ao pódio. Basicamente eu só precisava fazer uma corrida sem erros. E foi o que eu fiz.

Enquanto os dois líderes disparavam na frente, eu me preocupei em não errar. O carro escorregava pra cá e pra lá, nas freadas eu tomava uns empurrões do kart de trás, mas tava tudo bem, tudo sob controle.

A cinco voltas do final eu passei por um kart batido, e tive a impressão de que era o que vinha em segundo lugar. Na curva seguinte, outro kart parado, e a impressão de que era o que vinha em primeiro.

Pensei comigo: ah não, seria muita sorte. Vou manter a concentração e garantir aqui o meu terceiro. Depois a gente vê o que acontece.

Ao final da corrida eu vibrei pois sabia que tinha chegado ao pódio, se em primeiro, segundo ou terceiro, eu não sabia. Mas estava no pódio... hehehe

Depois de longos 40 minutos veio a confirmação: o bonitão aqui tinha conseguido a primeira vitória na carreira!

Ah cara, foi legal demais! As pessoas estavam realmente felizes por eu ter vencido. E eu tirei a maior onda... hehehe

Afinal me tornei o primeiro vencedor na história do Parakart valinhense! Uhuuuuu! :)




Dormindo com o trofeu da minha primeira vitória... hehehe

Um dia muito, muito especial (parte 1)

Nesta noite eu mal dormi. Fui pra cama às 4h30, e às 6h00 já estávamos rumando ao kartódromo Granja Viana, para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Chegamos lá pouco depois das 7h00. Tomamos um cafezinho e ficamos curtindo o movimento.

O dia começou muito bonito. Um sol gostoso, uma brisa. O clima entre as pessoas também era dos melhores.

Seriam duas baterias, com um intervalo de cerca de 40 minutos entre uma e outra.

Na classificação para a primeira bateria, eu fiquei meio frutrado, pois em nenhum momento consegui pista livre. Cravei o nono tempo, mas fiquei com a sensação de que poderia ter feito muito melhor.

Já na corrida eu fiz um bom trabalho, sem erros. O único porém foram os problemas físicos que sempre me acompanham. Senti muitas dores nos braços, mas na base da força de vontade consegui ir até o final, e obtive um resultado muito bom: sétimo lugar!

Nossa, há quanto tempo eu não terminava entre os dez primeiros!

Dei um tempo na alegria, e passei a me preocupar em me recuperar para a segunda bateria. Tinha cerca de 40 minutos para me colocar em condições de correr.

Nem saí do kart. Apenas tirei a parte de cima do macacão e melequei os braços de pomada Cataflan, isso sem contar os dois Dorflex que mandei pra dentro... hehehe

Veio a segunda bateria, e... agradável surpresa! Não senti dores! Fiz mais uma boa corrida, e se não fosse uma bobeira no finalzinho, teria repetido o sétimo lugar da primeira.

Resultado: nono lugar na segunda bateria, e na soma dos resultados terminei o Brasileiro no oitavo lugar, que era o meu objetivo.

Agora era só pegar as coisas e rumar para Valinhos.

Depois da disputa do Brasileiro, era hora da gente se divertir um pouco. :)

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Vai começar de novo...

Ufa! Após algumas semanas parado, finalmente voltei a acelerar meu kart 34.

Nada como uma pausa pra colocar a cabeça no lugar, e novas metas pra dar uma reanimada no espírito.

E senti os ares da mudança já neste treino para o Brasileiro.

O kartódromo é o mesmo, a galera, a pista, nada é novidade aqui. Estamos em casa, no ambiente que conhecemos tão bem.

Mas estou diferente, mais confiante. Fiz um bom treino, curti bastante o traçado. Acima de tudo, me sinto mais leve, mais feliz.

Ah, outra novidade. Neste domingo Valinhos estará organizando o seu primeiro GP de Kart, e o Parakart estará presente, fazendo uma corrida de demonstração.

Ou seja, domingo farei três corridas, duas pelo Brasileiro na parte da manhã, e uma à tarde em Valinhos.

Se o corpo aguentar, será um dia muito divertido... hehehe

domingo, 20 de junho de 2010

Classificação da Copa São Paulo de Parakart 2010

Após 5 etapas:


Próxima etapa da Copa São Paulo de Parakart:
7 de Agosto de 2010

Novos objetivos...

Ah, confesso que quando o ano começou, eu estava bem animado, com muita esperança de fazer um campeonato equilibrado, para quem sabe pegar uns pódios e brigar pelo sétimo lugar.

Mas depois de três corridas tão ruins, meu campeonato foi pro vinagre.

Sem grandes expectativas em relação à classificação, resolvi traçar novos objetivos.

Daqui pra frente correrei uma corrida de cada vez. Parece meio óbvio, mas o que eu quero dizer é que vou dar o meu melhor a cada etapa, sem me pressionar por uma melhor colocação na classificação.

Ou seja, a minha luta daqui pra frente é tentar pegar alguns pódios e colocar alguns trofeus na parede.

Serão cinco etapas daqui pro final do ano, mais o Campeonato Brasileiro em julho.

Seis oportunidades para dar um pouquinho de alegria pra galera. :)

sábado, 19 de junho de 2010

Três corridas para esquecer...

Oi amigos...

Andei um período meio quieto, meio sumido. Quem me conhece sabe que eu sou assim mesmo, de vez em quando preciso me trancar na ostra para colocar as ideias em ordem.

Bom, com relação ao kart, foi um período horroroso, tenebroso, horripilante. Eu comecei o ano super animado, e apesar de estreiar com um 14º lugar, o pódio logo na segunda corrida me fez acreditar que seria um campeonato repleto de passarinhos, flores, borboletas, sol brilhando, nuvens no céu...

Só que...

Só que esse é o mundo dos Teletubies. No mundo real, pelo menos no meu mundo real, as coisas não são assim tão fáceis.

Dá pra resumir a terceira, a quarta e a quinta etapas da Copa São Paulo em quatro palavras: "três corridas para esquecer".

Não aconteceu nada de anormal. Não errei, não rodei, não bati... Apenas não consegui andar rápido.

Aliás, essa foi uma importante lição que aprendi. Tem dia que não é dia e, por mais que a gente se esforce, o resultado pura e simplesmente não vem.

Os resultados? 13º, 14º e 17º lugares. E lá fui eu pra parte de baixo da tabela de novo.

Agora a Copa São Paulo dá uma parada. Julho é mês de Campeonato Brasileiro.

Espero que os novos ares do Brasileiro levem para longe essa fase ruim, e que o segundo semestre seja bem melhor que o primeiro. :)

sábado, 5 de junho de 2010

quarta-feira, 2 de junho de 2010

2 ANOS DE NAMORO!!!

E ENTÃO O AMOR
Alex Porahy


Ela foi minha primeira namorada e nela dei meu primeiro beijo apaixonado, e depois daquela tarde chuvosa de outubro passaram-se nove anos.

É bem provável que tenhamos sido felizes na maior parte desses nove anos, e embora ela tenha se tornado a mãe do meu filho, eu sinceramente não me lembro com muita saudade dessa época.

Confesso que é meio estranho dizer isso, já que eu fui realmente apaixonado. Mas hoje posso dizer com toda a certeza que não era amor.

Ela foi minha segunda namorada, e com ela eu tive muitos momentos felizes, e ela estava ao meu lado quando enfrentei uma das maiores dificuldades da minha vida.

E nos quatro anos que passamos juntos fiz muitas juras, e nunca tive vergonha de declarar o que sentia por ela.

Mas hoje, quando olho para trás, apesar de ter sido realmente apaixonado, posso dizer com toda a certeza que não era amor.

Ela foi minha terceira namorada, embora eu devesse chamá-la de anjo. Foi alguém especial, e os quinze anos que nos separavam jamais tiveram qualquer influência em nossa relação.

Pelo contrário. Nos quase dois anos que passamos juntos, nunca houve um desentendimento, uma discussão, uma palavra mais dura. No máximo ela derrubou algumas lágrimas quando percebemos que, sabe-se lá porque, estávamos chegando ao fim.

Foram dois anos de risos, carinhos, muitas coisas boas. Mas hoje posso dizer com toda a certeza que não era amor.

E então veio aquela fria noite junho. E da maneira mais inesperada eu conheci a menina mais encantadora de todas.

Leve, suave, deliciosamente divertida e apaixonante.

Dona do mais belo sorriso, da boca carnuda e rosada mais desejável, da pele mais macia e cheirosa, e dos olhos castanhos e brilhantes que enxergaram o que mais ninguém conseguiu: a minha alma.

Seu beijo é o melhor, e em suas curvas generosas eu me perco, mas também me encontro. Porque foi em seus braços que descobri o meu lugar, e é em sua presença e apenas na sua presença que eu me sinto verdadeiramente feliz, verdadeiramente em paz.

Quando meus dias são vazios e sem graça, sem cor e sem sentido, basta ouvir a sua voz para que tudo se transforme em vida!

Isso mesmo, vida! Essa é a palavra que melhor define como eu me sinto!

Essa menina é a minha vida, é por ela que eu abro meus olhos todas as manhãs, é nela que estão meus melhores pensamentos ao longo do dia, e é ela quem eu peço a Deus em minhas orações quando vou dormir.

Ela não é perfeita. Não quer ser. E nem precisa.

Aliás, ela não precisa fazer nada para ser merecedora do meu amor.

Se eu pudesse escolher mudar alguma coisa nela, qualquer coisa, escolheria mudar coisa alguma. Sequer um fio de cabelo.

A quero exatamente do jeitinho que é.

Admiro seu caráter, seu talento, sua inteligência, seu jeito divertido e até um pouquinho desastrado.

Ah, e como ela é linda! Exuberante, maravilhosa, vivendo o auge da sua feminilidade e sensualidade com seus trinta e poucos anos.

Mais do que especial, ela é única!

E agradeço sempre a Deus por tê-la colocado em minha vida, e por me permitir fazer parte da vida dela.

Neste dois de junho de dois mil e dez completamos dois anos de namoro.

Dois anos de paixão, desejo, carinho, amizade, companheirismo, cumplicidade.

E... sim! Hoje eu posso dizer com toda a certeza que é amor!

sábado, 8 de maio de 2010

Corrida adiada...

Confesso que foi um dia estranho. Eu fiz um bom treino na quarta-feira, e estava confiante para a corrida de hoje.

Só que ao entrar na pista para a classificação, eu estava meio desligado, meio fora de órbita, sem concentração mesmo. E o resultado disso foi um 11º lugar no grid de largada.

A partir daí só me restava tentar ganhar algumas posições, e marcar o maior número de pontos possível.

Mas... A corrida mal começou e já acabou. O motivo? Chuva!

Confesso que pra mim até que foi bom. Embora o 11º lugar na largada esteja mantido, quem sabe num outro dia eu esteja mais inspirado.

Parabéns a todas as mamães lindas deste mundo, em especial a minha mãe e a minha Letícia!!! Vocês são demais!!! :)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Quarta-feira de altos e baixos...

A boa notícia é que fiz mais um excelente treino. Embora tenha marcado apenas os meus tempos, na pista consegui andar algumas voltas no mesmo ritmo do Rafa que, pra mim, é favorito ao título deste ano.

Inclusive, ao final do treino o Rafa me elogiou, dizendo que eu tô andando pra caramba. O Alemão, chefe dos mecânicos, também deu uma força e disse que eu evoluí bastante do ano passado pra cá.

Enfim, eu que já tinha conquistado meu espaço fora das pistas como um cara legal e tudo mais, começo a ganhar o respeito da galera também dentro das pistas, como um piloto rápido.

Pra completar, perdi mais um quilinho desde a última pesagem, chegando à metade do meu objetivo. Terminei 2009 com 94,7kg (com cadeira e equipamento de piloto). Na primeira corrida de 2010, em março, caí para 91,5kg. Já na segunda, três semanas atrás, estava com 90,4kg. E hoje alcancei os 89,4kg. A meta é chegar aos 85kg, o que equivale a uns 70kg sem os equipamentos. Alguém duvida que eu vou conseguir? hehehe

Já o resto do dia foi meio estranho. Eu estava bem, alegre, tranquilo, mas aí aconteceu um lance chato e agora tô meio malz, com uma sensação ruim, um gosto amargo na boca, um aperto no peito.

Preciso do meu remedinho diário, mas não sei se vou receber. =/

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Classificação da Copa São Paulo de Parakart 2010

Notícias... Notícias... Notícias...

Hoje eu resolvi inovar e ao invés de apenas escrever, estou postando um vídeo contando como foi minha corrida anterior.

Aí está ele:



Tá, confesso que ando com preguiça de escrever, por isso o vídeo... kkkkkkkkk

Mas como alguém aí pode ser deficiente auditivo, ou estar acessando de algum lugar onde não possa ligar o som, vou fazer um resumo. Afinal eu tenho um coração muito bom... kkkkkkkk

Como vocês devem ter lido uns posts atrás, a corrida de estreia no Parakart 2010 foi meio frustrante para mim.

Eu fiz um bom treino, uma ótima classificação e larguei em quinto. Só que um acidente logo na primeira curva me jogou pra fora da pista e com isso eu terminei num distante 14º lugar entre 16 pilotos.

Por isso, na segunda etapa, meu único pensamento era me recuperar, marcando o maior número de pontos possível.

Logo na classificação aconteceu um acidente muito feio, assustador mesmo. Um piloto passou por cima da zebra e perdeu o controle do kart. O carinha que vinha logo atrás bateu em cheio e, como não estava amarrado no kart (ele é muletante, mas mesmo assim deveria estar amarrado ao kart), saiu voando do carrinho e rolou na pista. Tudo isso aconteceu logo na minha frente, e minha preocupação naquele momento foi não atropelar meu amigo. Felizmente tudo não passou de um grande susto, o piloto acidentado está bem e acredito que estará conosco na próxima etapa.

De volta à classificação, eu consegui o terceiro melhor tempo (uhuuuu!), e a partir daí passei a me preocupar em passar pela famigerada primeira curva sem acidentes.

Foi dada a largada e desta vez eu larguei bem (eu sempre largo mal... hehehe). Mas um carrinho emparelhou comigo e ficamos num empurra-empurra danado. Aguentei o máximo que pude mas, para evitar um acidente que me deixaria de fora de novo, meti a mão no freio e com isso caí para o nono lugar.

Até aí tudo bem. O pior já tinha passado e agora o lance era fazer uma corrida sem erros e ver o que aconteceria.

Algumas rodadas na minha frente e eu já era o sexto. Então começou uma disputa muito legal entre eu e o Stephane (também conhecido como O Francês, atual terceiro colocado no campeonato), e após termos trocado de posição algumas vezes, caí de novo para sétimo.

Aí minha luta passou a ser ganhar uma posição e chegar ao pódio, afinal até o sexto lugar nós ganhamos trofeuzinho. Só que o carinha que estava na minha frente é, digamos, complicado. Muito rápido, mas molecão. Às vezes meio afoito, impaciente, competitivo um pouquinho além da conta.

Resolvi ter paciência e me manter atrás dele, e só partir para o ataque quando faltassem umas três voltas para o final, assim ele não teria tempo de retomar minha posição. Fiz um traçado super defensivo, sacrificando as curvas e freando forte, sem dar chance para quem vinha atrás.

E a estratégia ("em grego strateegia, em latim strategi, em francês stratégie..." hehehe) deu certo. O carinha que estava na minha frente cometeu um erro e eu fui para cima.

Daí para a frente foi só controlar as dores nos braços (como sempre), confirmar o sexto lugar e trazer o trofeuzinho para casa.

Na temporada passada precisei de nove etapas para conseguir, e este ano, logo na segunda corrida eu consegui.

Hoje estou em décimo no campeonato, e a expectativa é continuar fazendo boas corridas e marcando pontos, para subir cada vez mais.

Como eu falei, esta semana tem mais corrida, e como sempre eu conto com a torcida de vocês.

Como domingo é Dia das Mães, eu quero muito um trofeuzinho para oferecer às duas mamães mais especiais que existem: a minha mãe e a minha Letícia linda!

Um grande abraço em todos, obrigado pela visita e fiquem com Deus. :)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Ela é realmente muito importante para mim...

"Foi o tempo que dedicastes à tua rosa que fez tua rosa tão importante." (Antoine de Saint-Exupéry)

Ela é tão importante para mim, que não lhe dedico apenas o meu tempo... Dedico a minha vida!!!

E como vale a pena!!! Sim, ela vale muito a pena!!!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Lição de vida ou apenas o desejo de ser feliz?

Escrevi este texto em 2004, e ele foi publicado no site da Rede SACI, voltado para deficientes, familiares, amigos e profissionais da área da saúde.

Hoje, seis anos depois, não mudei uma vírgula sequer na minha maneira de pensar.

Espero que curtam.

Ah, como vocês verão no final do texto, meu nome verdadeiro é Alexander Corrêa de Araujo, por isso não estranhem... hehehe... Mas também atendo pela alcunha de Alex Porahy. :)


LIÇÃO DE VIDA OU APENAS O DESEJO DE SER FELIZ?

Alex, ator na peça Noturno, conta um pouco de sua história


Primeiro vou me apresentar. Me chamo Alex, tenho 33 anos, e estou paraplégico há quatro anos e meio devido a uma lesão por arma de fogo após reagir a um assalto.

Acredito que quando uma coisa como essa acontece, devemos nos apegar naquilo que nos restou, e não naquilo que perdemos. E acreditem, um paraplégico ainda tem muito o que fazer na vida.

Hoje em dia, por exemplo, estou fazendo teatro. Algo impensável antes do acidente.

Faço parte de um grupo teatral chamado Oficina dos Menestréis. Mais especificamente, participo de um projeto experimental desenvolvido pelo diretor Deto Montenegro.

Esse projeto teve início em maio de 2003, e a proposta do Deto era formar um grupo com cerca de vinte cadeirantes com o intuito de montar um espetáculo teatral/musical.

Tivemos quatro meses de curso, cujo método original - destinado a andantes - foi totalmente adaptado para os cadeirantes pelo Deto, e quatro meses de montagem do espetáculo. A peça escolhida foi o musical Noturno, de Oswaldo Montenegro.

Foram quatro apresentações em dezembro de 2003, todas com "casa cheia". O resultado foi tão bom que voltamos com mais duas temporadas, uma em fevereiro e outra em março de 2004, num total de quatorze apresentações.

O mais legal nisso tudo é que, ao final de cada apresentação, o público tinha total liberdade para subir no palco e vir falar com o elenco.

E foram inúmeros os casos de pessoas virem falar comigo com lágrimas nos olhos, confessando terem vivido uma das maiores emoções de suas vidas. Algumas nunca tinham ido a um teatro, e se diziam gratas por termos lhes proporcionado momentos tão bons.

Claro que tudo isso envaidece, massageia o ego. Você estar fazendo algo que gosta, e ter o seu trabalho reconhecido é algo que não tem preço.

Isso sem falar naquelas pessoas que diziam que nós éramos lições de vida, por sermos deficientes e mesmo assim mostrarmos tanta alegria, tanta disposição.

Esperem aí. Demorei mas cheguei onde eu queria.

O que uma pessoa portadora de deficiência mais deseja? Se tornar uma lição de vida ou simplesmente fazer as mesmas coisas que uma pessoa dita "normal"?

Acredito que a segunda opção é a mais correta. Afinal, nós lutamos contra qualquer tipo de discriminação, e isso significa que queremos ser iguais a todo mundo.

Confesso que eu nunca acordei e pensei: "Bom, hoje darei uma lição de vida pras pessoas". Pelo contrário, eu acordo e penso: "Pô, eu queria dormir mais um pouco, mas tenho que trabalhar (ou estudar, que seja)". Além disso, seria muita pretensão eu, com tantos defeitos, querer servir como lição de vida.

O xis da questão é esse. Um deficiente quer trabalhar, estudar, namorar, se divertir como qualquer pessoa. Queremos fazer essas coisas não pra servirmos de exemplo nem darmos uma lição de vida pras pessoas. Queremos fazer essas coisas porque isso nos faz felizes. Não fazemos isso pelos outros, fazemos por nós mesmos.

Não há mal nenhum no fato das pessoas ficarem admiradas ao verem um deficiente superar algumas barreiras. Se de alguma forma isso animar as pessoas a tentarem resolver seus problemas, tudo bem.

Só não podemos deixar esse tipo de coisa nos subir à cabeça, e começarmos a achar que somos mais do que alguém. Não somos mais, nem menos. Somos iguais.

Queremos apenas ser felizes. Afinal, ser feliz é uma necessidade.

*Alexander Corrêa de Araujo, 33 anos, é ator. Aos 29 anos ficou paraplégico após reagir a um assalto.


---------------
*Nota do autor: Artigo publicado na Rede SACI em 26.Abr.04.

Ser cadeirante ou estar cadeirante...

A meu ver, existe uma diferença entre ser cadeirante e estar cadeirante.

E antes que passe pela cabeça de alguém me criticar pelo que vou escrever aqui, me chamando de derrotista, pessimista ou coisa parecida, vou logo dizendo que é a minha opinião pessoal, e o que vale para mim pode não valer para as outras pessoas e vice-versa.

Para mim, estar cadeirante significa passar uma temporada na cadeira de rodas. Essa temporada pode variar de alguns dias até alguns anos, dependendo da origem do problema. Mas independente do tempo, cedo ou tarde essa pessoa vai voltar a andar.

Eu sou cadeirante. Há dez anos. Essa é a minha realidade, e é baseado nela que eu toco minha vida. O que aconteceu comigo foi algo sério, grave, e apesar de todos os avanços da medicina, ainda não existe uma cura.

Com frequência recebo notícias de lesados medulares voltando a terem sensibilidade, e até dando alguns passos. É animador e traz esperança. Por enquanto é apenas isso, o que já é muito, pois esperança é algo fundamental na vida de qualquer pessoa, cadeirante ou não.

O fato é que a maior das limitações não está no físico, e sim no psicológico. Ser cadeirante não significa ser incapaz. Muito pelo contrário. Se deixamos de fazer algumas coisas, nos descobrimos capazes de fazer outras tantas. É apenas questão de não se acomodar, de não se esconder, de sair de casa, de conhecer pessoas, de ir à luta.

Ao lesionar minha medula, eu precisei me redescobrir. De um dia para o outro, sem nenhum preparo, me vi num corpo desconhecido para mim, totalmente diferente do que eu estava acostumado.

Mais de dez anos depois, me sinto como se sempre tivesse sido cadeirante. Rever fotos antigas de antes do acidente é, para mim, algo meio estranho. Parece que aquele cara das fotos nunca existiu, parece que não sou eu.

Hoje vivo com um pé na esperança de um dia voltar a andar, e as quatro rodas bem apoiadas no chão, sabendo que isso é praticamente impossível.

Porque primeiro deve ser descoberta uma cura, e depois essa cura tem que estar acessível a mim, financeiramente falando. Se para a medicina, um prazo de 10, 15 ou 20 anos é algo plausível, para mim significa um tempo meio que... longo demais.

Por isso vou tocando a vida como uma pessoa normal. Busco ser feliz como qualquer um, e pra mim isso significa dar muito beijinho na boca linda e macia da Letícia, não deixar nada faltar para minha mãe e meus filhos, poder acelerar cada vez mais meu kart, errar, acertar, cair, levantar, enfim... Viver!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Letícia, Letícia...

O que é isso que você faz comigo, hein? De onde vem essa sua capacidade de tornar meus dias nublados e cinzentos em belas tardes de sol?

Como seu sorriso me faz bem!!! Como seu olhar e sua boca mexem comigo!!! Como você é linda!!! Todinha linda!!!

Meu maior desejo é fazer com que você se sinta como a menina desta canção...


YOU´VE GOT A WAY
Shania Twain
(tradução)

Você Tem um Jeito


Você tem um jeito comigo
De algum modo você me fez acreditar
Em tudo que eu podia ser
Eu preciso dizer
Você realmente tem um jeito

Você tem um jeito, parece que
Você me deu fé para encontrar meus sonhos
Você nunca saberá exatamente o que isso significa
Você não consegue ver
Você tem um jeito comigo

Está no jeito de você me querer
Está no jeito de você me abraçar
O jeito de me mostrar exatamente do que o amor é capaz
Está no jeito como fazemos amor

Você tem um jeito com palavras
Você me faz sorrir mesmo quando sofro
Não tem jeito de medir o quanto vale seu amor
Eu não acredito no jeito que você consegue me atingir

Está no jeito de você me querer
Está no jeito de você me abraçar
O jeito de me mostrar exatamente do que o amor é capaz
Está no jeito como fazemos amor

Oh, como eu te adoro
Como a ninguém antes de você
Eu te amo exatamente do jeito que você é

Está no jeito de você me querer
Está no jeito de você me abraçar
O jeito de me mostrar exatamente do que o amor é capaz
Está no jeito como fazemos amor

É apenas o jeito que você é

Semana corrida...

Esta será uma semana corrida, literalmente. Ainda mais a partir de quarta-feira.

Como é semana de corrida, quarta-feira terei treino. Estou desconfiado que o traçado da segunda etapa será o mesmo do ano passado. Se for, já tenho a corrida na cabeça. É a vantagem de não ser novato... hehehe

Na quinta-feira irei à Reatech 2010, uma feira voltada à galera portadora de necessidades especiais. Lá a gente encontra desde carros adaptados até adaptações de casas e tudo que se relaciona com deficientes físicos.

No meu caso, vou lá pra comprar uma cadeira de rodas nova, já que esta me acompanha há quase dez anos e está fazendo hora extra no mundo... hehehe

No sábado tem corrida (darei mais detalhes depois), e no domingo, se eu tiver pique, darei mais uma passadinha na Reatech.

Ufa! :)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Prosa...

NOITES FRIAS
Alex Porahy


Não importa que aos olhos do mundo eu seja um tolo sonhador
Minha vida já não me pertence, está em suas mãos
Fui eu quem quis assim
Essa foi a minha escolha
E não estou arrependido
Eu até me sinto feliz
Sim, eu estou muito feliz
Mesmo nas noites frias
Eu sou muito feliz!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Certas canções dizem tudo...

I DON´T WANT TO MISS A THING
Aerosmith
(Tradução)

Eu Não Quero Perder Nada


Eu poderia ficar acordado só para ouvir você respirar
Ver o seu rosto sorrindo enquanto você dorme
Enquanto você está longe e sonhando
Eu poderia passar minha vida inteira nessa doce entrega
Eu poderia me perder neste momento para sempre
Todo momento que eu passo com você
É um momento que eu valorizo

Não quero fechar meus olhos
Não quero pegar no sono
Porque eu sentiria a sua falta, baby
E eu não quero perder nada
Porque mesmo quando eu sonho com você
O sonho mais doce nunca vai ser suficiente
E eu ainda sentiria a sua falta, baby
E eu não quero perder nada

Deitado perto de você sentindo o seu coração bater
E imaginando o que você está sonhando
Imaginando se sou eu quem você está vendo
Então eu beijo seus olhos e agradeço a Deus por estarmos juntos
Eu só quero ficar com você
Neste momento para sempre, para sempre e sempre

Não quero fechar meus olhos
Não quero pegar no sono
Porque eu sentiria a sua falta, baby
E eu não quero perder nada
Porque mesmo quando eu sonho com você
O sonho mais doce nunca vai ser suficiente
E eu ainda sentiria a sua falta, baby

Não quero perder um sorriso
Não quero perder um beijo
Eu só quero ficar com você
Bem aqui com você, apenas assim
Eu só quero te abraçar forte
Sentir seu coração tão perto do meu
E só ficar aqui neste momento
Por todo o resto dos tempos

Não quero fechar meus olhos
Não quero pegar no sono
Porque eu sentiria a sua falta, baby
E eu não quero perder nada
Porque mesmo quando eu sonho com você
O sonho mais doce nunca vai ser suficiente
E eu ainda sentiria a sua falta, baby
E eu não quero perder nada

sábado, 3 de abril de 2010

Um ano e dez meses atrás...

... a esta hora eu já tinha me apaixonado pela minha Letícia.

Oficialmente, comemoramos nosso níver de namoro no dia 2 de junho.

Foi assim... Começamos a conversar às 20h30 do dia 2, à 1h20 do dia 3 eu disse "pronto, me apaixonei", e às 6h30 nos despedimos, ansiosos para estarmos juntos de novo.

São lembranças deliciosas, guardadas com muito carinho na memória e no coração.

Te amo, minha Lê linda e gostosa!!! Junto e Misturado Sempre!!! E Pra Sempre!!! S2 S2 S2

Músicas...

Há um grupo chamado Fast Ball que, lá pelos anos 90, gravou uma música chamada The Way. Mesmo curtindo demais essa música, nunca tive curiosidade de conhecer outros trabalhos do grupo. Até hoje.

Estava dando uma fuçada no Youtube, enquanto esperava dar 5 da matina para assistir o treino da Fórmula 1, e eis que encontrei uma outra música do Fast Ball chamada Out Of My Head.

Achei tão gostosinha de ouvir, que resolvi dividir com vocês.

Sem mais delongas, aí estão elas: The Way e Out Of My Head, do Fast Ball. Espero que curtam tanto quanto eu. :)



quinta-feira, 1 de abril de 2010

Um dos meus textos preferidos...

Escrevi isto em 2004, mas sempre que sinto saudade publico em algum lugar.

Chegou a hora de dividir com vocês. :)

Ah, e quatro anos depois de escrever esse texto, conheci minha outra metade. E é incrível como eu acertei quase tudo... hehehe



MINHA OUTRA METADE
Alex Porahy


Ontem eu fui deitar pensando numa menina. Por enquanto ela não é real. Existe apenas em meus sonhos.

Eu acredito que todos têm sua outra metade da laranja, aquela pessoa com quem se deseja compartilhar o resto da vida.

Isso quer dizer que a minha deve estar por aí. Talvez eu até já tenha cruzado com ela, mas ainda não rolou, entendem?

Vou tentar descrever como a imagino.

Ela não é muito alta. Tem um metro e sessenta e pouco. Seus cabelos são castanhos claros, lisos, um pouco abaixo dos ombros. Adoro quando ela faz um rabo-de-cavalo, e deixa escapar alguns fiozinhos no pescoço.

Seus olhos são castanhos claros, quase verdes, expressivos, brilhantes.

Sua boca é linda. Os lábios são grossos e seu tom rosado é mais bonito que qualquer batom.

Seus dentes são ligeiramente tortinhos, só pra dar um charme.

Tem um corpo bonito, todo proporcional.

Seu modo de vestir combina com o seu jeito de ser. É descontraída quando pode, chique quando precisa, mas parece estar sempre à vontade, natural.

Como toda mulher ela é vaidosa, mas não ao ponto de ser chata. Gosto de vê-la quando se olha no espelho e fica conferindo se está "tudo em cima".

Sua pele macia tem um perfume que me deixa louco. Não dá pra descrever.

Mas pensando bem, o que é a altura de uma pessoa comparada à grandeza do seu espírito?

O que é a cor dos cabelos, ou o seu comprimento, ou se são lisos ou não, comparado ao prazer que sinto ao acariciá-los?

E a cor dos olhos então? O que importa é que quando ela olha pra mim, enxerga a minha alma.

E é de sua boca que saem as palavras que eu quero e preciso ouvir.

Mais importante que as curvas do seu corpo é a forma como ele se encaixa perfeitamente no meu.

Roupa nenhuma consegue deixá-la mais linda por fora do que é por dentro.

E nenhum espelho consegue ser fiel o bastante ao refletir sua imagem, porque ela é única!

E perfume nenhum é tão delicado quanto o seu toque!

Ela é divertida. Brinca de fazer careta na frente do espelho, e canta no chuveiro.

Se dá tão bem com o meu filho que, quando os vejo brincando juntos, não sei dizer qual dos dois é mais criança.

Ela é tão forte que não tem receio de demonstrar sua fragilidade.

Tem suas crises de tpm, mas nada que um chocolate, ou dois, ou três, não resolvam.

Não é perfeita. Não quer ser. E nem precisa.

Também não precisa pegar no meu pé, porque sabe que quando não estamos juntos, é nela que eu penso e é com ela que eu quero estar.

Pois é, está apresentada a mulher dos meus sonhos. Talvez não seja exatamente como eu descrevi, mas que ela existe, ah existe!

Do jeito que eu sou desligado, pode até ser que eu já a conheça, mas ainda não me toquei.

Mas quando eu me tocar, ah! ninguém me segura!

Caramba, estou ficando velho!!!!!!!

Comerciais que trazem muitas lembranças de um "tempo bom que não volta nunca mais"...

Sempre que encontrar "novidades", atualizarei este post, portanto visitem-no de vez em quando, ok? :)






















sábado, 27 de março de 2010

Hora do Planeta...

Passadinha para dizer que daqui a pouco, às 20h30, irei apagar as luzes e desligar TV, notebook e tudo mais por uma hora.

Saiba mais clicando aqui: Hora do Planeta.

E participe também. :)

quinta-feira, 25 de março de 2010

Uma bela letra...

Ainda há pouco eu estava assistindo Arquivo Morto (Cold Case) e ao final tocou esta música que há tempos eu não ouvia.

O que me chamou a atenção foi a letra, que fala de amizade, de força, de esperança. Numa época em que muitas músicas falam de violência, relações fúteis e jovens sofrendo de uma tristeza sem fim a ponto de cortarem os pulsos, um pouco de positividade cai muito bem.

Por isso divido esta música com vocês. :)


LEAN ON ME
Club Noveau
(tradução)


Às vezes, nas nossas vidas, todos nos sentimos mal
Todos temos tristezas
Mas se todos assistirmos, saberemos
Que há

Um amanhã, sempre
Confie em mim quando você não estiver forte
E eu serei seu amigo
Eu a ajudarei a seguir em frente (confie em mim)

Pois não vai demorar muito até eu precisar
De alguém em quem confiar
Por favor, engula seu orgulho se eu tiver sido
O que você precisa emprestar
Pois ninguém pode ouvir essas outras necessidades
Que você não deixará aparecer

Confie em mim quando você não estiver forte
E eu serei seu amigo
Eu a ajudarei a seguir em frente (confie em mim)
Apenas me chame, irmão, quando precisar de uma mão

Todos precisamos de alguém em quem confiar
Eu posso ter algum problema que você entenda
Todos precisamos de alguém em quem confiar
Confie em mim

Confie em mim quando você não estiver forte
E eu serei seu amigo
Eu a ajudarei a seguir em frente (confie em mim)

Pois há uma carga que você deve apostar
Que você pode carregar
Eu vou até você, mostro o seu caminho
Se você simplesmente me chamar
Confie em mim

Apenas me chame, irmão, quando precisar de uma mão
Todos precisamos de alguém em quem confiar
Eu posso ter algum problema que você entenda
Todos precisamos de alguém em quem confiar

Fomos unidos
Fomos unidos (Apenas me chame)

Oh, quando precisar de um amigo
Oh, amor, (me chame) quando precisar de um amigo

Não tentem entender...

Há uma estorinha que diz: "Dentro de mim existem dois cães ferozes, um bom e outro mau, e eles estão constantemente lutando. Vai vencer aquele que eu alimentar". Eu quero apenas que o meu cão bom esteja alimentado o suficiente para fazer a Letícia feliz.

É só o que me importa: fazê-la feliz!

O sorriso dela é tudo de bom, é minha energia. E para quem diz que preciso me amar pelo menos um pouquinho, respondo que eu amo certas coisas que faço pra ela:

Amo minhas poesias; amo comprar chocolate, flores e bichinhos de pelúcia pra ela; amo fazer carinho nela...

Então me perguntam: e você?

Eu? Ora, fazê-la feliz me deixa super feliz, é a melhor sensação do mundo!

Claro que eu sofro, mas só de vez em quando. E vou sobreviver, não se preocupem.

Ela tem defeitos? tem...

Às vezes faz algo que me deixa triste? faz...

Já me magoou? sim...

Mas nada, nada mesmo se compara à felicidade que ela me faz experimentar.

Por isso, não tentem compreender o amor que eu sinto pela Letícia, porque não existe amor igual a esse.

Eu sou capaz de qualquer coisa pela Lê. Se tivesse que escolher entre voltar a andar e ficar com ela, não teria dúvidas em escolhê-la.

Para ela eu daria meus olhos, meu coração, minha vida!

É algo que vocês podem imaginar, mas nunca irão compreender de verdade, porque não tem explicação.

E tem mais... Sou louco por ela, desesperadamente louco, mas nunca faria algo para prejudicá-la.

Se ela se apaixonar por outro cara, basta que me diga e eu simplesmente me retiro; se eu perceber que ela está perdendo a oportunidade de ser feliz por minha causa, eu me afasto.

A amo tanto, que abro mão da minha felicidade em nome da dela. Por mais que a ame e a deseje, se perceber que é o melhor para ela, eu me afasto, me retiro. Sem brigas, sem acusações, sem mágoa...

Ela... Apenas ela... Nada mais importa...

Não tenho garantia nenhuma de que ela vá ficar comigo, muito menos de que me ame para sempre.

Não tenho nada. Estou completamente sem chão. Simplesmente me joguei. E é bem provável que um dia eu me arrebente... hehehe

Mas não tenho medo de me ferir, não tenho medo de sofrer.

Porque não tenho vergonha de dizer que vivo para a Letícia, e vamos ficar juntos enquanto ela me quiser.

Isso pode durar um mês, um ano ou uma vida.

Se ela disser: "me espere", eu espero. Não beijarei outra boca, nem pegarei em outras carnes... hehehe

Por isso, tenham certeza de uma coisa: eu posso sofrer, posso ter muitos momentos tristes, ou me sentir sozinho.

Sinceramente não importa. Porque basta um simples sorriso dela, pra eu me esquecer de tudo. E um único minuto ao seu lado faz minha vida valer a pena.

Vocês acabam de conhecer o que eu tenho de melhor: um amor maior que o mundo pela minha Lê!

terça-feira, 16 de março de 2010

Queria ter escrito isto... Seria a mais pura verdade...

VONTADE DE VOCÊ
Paulo Foentes


Hoje me deu vontade de escrever
Escrever não sei o quê, mas pra você

Hoje me deu vontade de te abraçar
De me perder em teus braços
De me envolver em abraços

Hoje me deu uma grande saudade
Uma enorme vontade
De me fundir em você

Hoje me deu um imenso desejo
De te amar
De me soltar

Hoje eu queria você
Queria viver somente com você,
Por você...

Hoje eu só queria teu calor
E me entregar ao cansaço
De uma noite de amor

Hoje eu queria ver teu rosto
Sentir o suor no teu corpo esgotado de amar
Hoje eu só queria dizer...

Que te quero muito!!!
Quero sentir seu corpo quente sobre o meu,
suas mãos me acariciando, seus beijos, seu desejo....

VOCÊ!

A Invasão...

Parece nome de filme de ficção científica ou terror, mas se trata apenas da minha noite de segunda-feira.

Estava eu curtindo a limpeza do meu apê, quando lá pelas oito da noite eles começaram a aparecer.

Aqueles minúsculos seres verdes começaram circulando minha lâmpada e eu pensei: "pronto, acabou o meu sossego".

Logo eles estavam por toda parte, em número bem maior que de costume. Às oito e meia, já cansado de me dar tapas para matar aquelas pequenas pragas que insistiam em pousar em mim, me rendi.

Preparei um Hot Pocket, peguei uma garrafa de suco gelado, meu notebook e literalmente me tranquei no quarto. Porta e janelas fechadas, e a esperança de um pouco de sossego.

Ainda assim, vários bichinhos conseguiram entrar no quarto sei lá por onde, mas nada se comparava aos milhões que ficaram na sala.

Eles são presença constante por aqui nas noites de calor, mas nunca houve uma invasão como essa.

O curioso é que eles circulavam a lâmpada e iam morrendo. E hoje de manhã, quando me levantei e abri a porta do quarto, me deparei com o chão forrado dessas pequenas pragas. Juntei tudo num montinho e bati uma foto, que mais tarde colocarei aqui.

Confesso que tô torcendo pra essa onda de calor passar logo, e levar com ela esses bichinhos irritantes.

Blééé... :P

segunda-feira, 15 de março de 2010

É sempre assim...

Na ausência da minha mãe e da minha namorada, encontrei uma outra mulher para me colocar no meu devido lugar... A faxineira!

"Agora eu vou limpar aí, vai pra lá... Agora vou pra esse canto, vai pra outro lugar... Se você está me atrapalhando? Está sim..."

Bom, licencinha... Preciso mudar de lugar de novo... kkkkkk

Música do dia...

Muitas vezes uma música traduz tudo aquilo que gostaríamos de dizer, mas nos faltam as palavras.

Hoje me sinto como na canção abaixo. Nem tanto pela letra, mas pela melodia, pelo ritmo, pelo arranjo, pela interpretação...



UM DIA DE CADA VEZ
Tihuana


Viver um dia de cada vez
Sentir saudade e não ter medo de chorar
Um dia eu cheguei a pensar
Que sem você eu viveria mais feliz

Não sei se a hora é certa pra dizer
As tantas coisas que eu não posso mais guardar
Das outras vezes que eu tentei
Você nem me deixou falar, você nem quis me escutar

Já faz um tempo que deixou de ser legal
A nossa história pode estar chegando ao fim
Não tenho mais razões pra continuar
Levar adiante pra depois se arrepender

Não sei se a hora é certa pra dizer
As tantas coisas que eu não posso mais guardar
Das outras vezes que eu tentei
Você nem deixou falar, você nem quis me escutar

Não quero me lembrar de você
Como alguém que me fez mal
Teremos coisas boas pra contar
Mas hoje não vai dar pra ser

Não sei se a hora é certa pra dizer
As tantas coisas que eu não posso mais guardar
Das outras vezes que eu tentei
Você nem deixou falar, você nem quis me escutar



:'(

sexta-feira, 12 de março de 2010

Momento Revelação...

Sem mais delongas, vamos lá...

Tudo que você queria saber sobre mim, mas tinha medo de perguntar...


Meu nome:
Alexander Corrêa de Araujo (não tem nada de Porahy, isso foi fruto na minha imaginação fértil... kkkkkkk

Minha idade:
39 aninhos, mas com corpinho de 40.

Estado civil:
Namorando uma menina linda de lábios carnudos rosados e olhos castanhos brilhantes.

Filhos:
Um com participação especial minha e três genéricos... kkkkkkk

Minha comida preferida:
Massas, massas e massas (pão, pizza, lasanha, macarrão e por aí vai). Também adoro arroz e feijão, e na churrascaria eu como mais polenta frita do que carne... hehehe

Minha bebida preferida:
Qualquer tipo de suco, especialmente laranja e abacaxi com hortelã. Álcool só em ocasiões especiais, e mesmo assim coisa fraquinha (champanhe, vinho docinho).

Meu cheiro:
Em ocasiões especiais uso o Kaiak da Natura (pode-se dizer que é o meu cheiro, pois há mais de 10 anos só uso ele)... Em casa ou pra resolver pepinos na rua, uso desodorante Axe Dark Temptation (chocolate) ou Musk (couro).

Meu gosto:
Depois de um dia de calor como hoje e antes do banho, tenho gosto de azeitona... kkkkkk

Tenho mania de:
Se esbarro com o braço esquerdo, esbarro com o direito também. Se passo com a roda esquerda do carro por cima cima daquelas tartaruguinhas da estrada, passo com a direita também (acho que isso se chama simetria). Quando andava, evitava pisar nas emendas dos pisos... Coisa de doido mesmo... kkkkkk

O que me atrai:
Pessoas inteligentes, divertidas e sem frescuras. Sinceridade também é super importante.

O que me irrita:
Pessoas folgadas que não respeitam a vaga reservada para deficientes, gente sem iniciativa, falsidade, violência, pedofilia e qualquer tipo de preconceito.

Meus defeitos:
Sou inseguro e ciumento, me irrito com certa facilidade e quando explodo falo muita besteira. Também sou meio preguiçoso e relaxado com a minha saúde.

Minhas virtudes:
Gosto de ajudar as pessoas, sou muito transparente e sincero, e me dedico de corpo e alma às pessoas que eu amo.

Segredos...
Fazem parte da vida de qualquer pessoa. E claro que eu tenho os meus, que não conto pra ninguém... hehehe

Acredito:
Em um Deus real, justo, amoroso e misericordioso, e que em breve vai varrer do mundo toda a maldade e injustiça, toda fome e doença, tudo aquilo que não fazia parte de Seu plano inicial.

Dinheiro ou amor?
Amor, sempre!

Meu maior desejo:
Ser feliz ao lado da minha Letícia linda.


Bom, por enquanto é isso. Hora de parar de falar sobre mim e encerrar este meu Momento Narciso... hehehe

Sei que vocês esperavam algo um pouco mais "picante", "revelador"... Mas vamos combinar o seguinte: se alguém quiser saber alguma coisa sobre mim, é só perguntar... Existe uma grande chance de eu responder... kkkkkk

Bom fim de semana a todos. :)

Sobre o que falar? Que tal algo sobre...

Mim mesmo?!? hehehe

Oi amigos e amigas. Foi uma semana preguiçosa, por isso não passei por aqui.

E tenho certeza que vocês não querem saber se hoje eu fui ao banco, se tava quase pegando uma insolação dentro do carro, se tinha um animal estacionado na vaga de deficiente, etc.

Quando vocês entram aqui, é porque estão alucinadamente ansiosos por saber mais sobre essa criatura tão singular, simpática, linda, cheirosa, proparoxítona e estupefata chamada Alexander Porahy.

Então vou lhes dar o que estão querendo.

Revelações bombásticas no próximo post... hehehe

segunda-feira, 8 de março de 2010

Parabéns, meninas! Vocês são mesmo demais!

Começando a semana (bate-bola, jogo rápido)

Acordei... às 12h30

Me sentindo... bem mais tranquilo que ontem

Eu já... conversei com a Letícia e a minha mãe

Agora estou... preparando o almoço

Prato do dia... lasanha de chester

Hoje eu preciso... pagar e organizar as contas, guardar as compras, dar uma organizada no apê

A vida... quando estou de bem com a Letícia, é perfeita

De zero a quinze, me sinto... doze

Por que de zero a quinze?... porque gosto de fugir dos padrões, ser diferente hehehe

Alex ou Alexander?... Alexander, mas podem me chamar como quiserem :)

domingo, 7 de março de 2010

Um pouco sobre mim neste momento...

São 14h47 e eu estou...

Comendo: nuggets de legumes

Bebendo: um treco chamado Cola Café

Fazendo: assistindo Se Meu Fusca Falasse, na Globo

Querendo: falar com a Letícia

Sentindo: saudade dela

Meu humor está: bom

Quase ia esquecendo...

Aproveitei que estava no kartódromo e subi na balança.

Na última vez que fiz isso, deu 94,7kg com cadeira e tudo. Ontem deu 91,5kg!

Isso mesmo, perdi cerca de 3kg!

A receita? Morar sozinho... hehehe

Minha meta agora é perder mais uns 6kg e chegar aos 85kg. Descontando o peso da cadeira, almofada e macacão, daria algo em torno de 70kg.

E logo, logo começarei a levantar ferro na academia aqui do condomínio.

A Letícia é linda e gostosa, então eu preciso me cuidar pra não perder a namorada... hehehe

Orkut

Um dos motivos que me levaram a criar o blog é que vou fechar meu perfil no Orkut.

Tinha em programado pra fazer isso na sexta à noite, mas como falei no post anterior, eu fiquei enrolado.

Mas o plano continua sendo esse: fechar o perfil e ficar apenas com o blog.

Então você que é meu amigo/amiga no Orkut e não quer perder o contato comigo, clique ali do lado em "Seguir" para ser notificado sempre que eu atualizar isto aqui.

Valeu! :)

Ê Laiá =/

Ói eu aqui dando um tempinho no meu descanso pra dar notícias...

Andei meio enrolado nos últimos dias, principalmente por causa da corrida de kart.

Por falar em corrida, vamos lá. Como falei outro dia, ontem foi a primeira etapa da Copa São Paulo de Kart.

O dia amanheceu chuvoso, mas pra mim isso não quer dizer nada. Tomei meu banho e segui pro kartódromo. Se vamos correr com pista seca ou molhada, ou se a organização vai adiar a corrida, não importa. Minha obrigação é ir.

Mas vamos logo ao resultado. Larguei numa excelente quinta posição, e minha estratégia era fazer uma corrida sem erros para ganhar uns pontos, e quem sabe chegar no pódio.

Só que não deixaram. Logo na primeira curva eu fui jogado pra fora da pista e bati de frente na proteção de pneus. Até me colocaram de novo na pista, mas daí pra frente a corrida acabou pra mim. Já sabia que seria impossível qualquer recuperação.

Resultado: 14º lugar entre 16 pilotos. =/

Claro que quando a corrida terminou eu tava muito bravo. Pô, neguinho ainda não aprendeu que a corrida não se decide na primeira curva. Na primeira volta a gente tem que buscar posicionamento e a partir daí começar a brigar por posição.

Não é só pelo resultado, pelos pontos ou pelo troféu. Esse é um esporte perigoso, e ninguém tem o direito de ser inconsequente e colocar a vida de outra pessoa em risco.

Da forma como fui jogado pra fora da pista e bati de frente nos pneus, eu poderia ter quebrado minhas pernas.

Não é mimimi de quem não sabe perder. A gente tem que saber perder, mas tem que saber ganhar também. Ganhar dentro das regras, com lealdade. Apenas isso.

Desabafo feito, agora o negócio é virar a página e partir pra próxima.

E a próxima já tem data marcada: sábado, dia 17 de abril.

E vamos que vamos. :)

sexta-feira, 5 de março de 2010

Ah, Dolores!

Nossa, esses três meses sem correr fizeram diferença. Quarta-feira fui pro treino do kart, e parece que passou um trator por cima de mim.

Tô com dores até em cantinhos que eu nem sabia que existiam... kkkkkk

Comprei aqueles adesivinhos de Salompas, mas se fosse colocar em cada lugar que dói, eu iria parecer uma múmia... kkkkkk

Mas sou pro-fis-sio-nal, e amanhã com dolores ou não, estarei acelerando e fazendo de tudo pra chegar nos pontos logo na primeira corrida.

Este ano subimos de 14 para 19 pilotos no grid, e chegar nos pontos é um grande resultado.

Confiante eu estou, só resta saber se na hora vai dar tudo certo. :)

quinta-feira, 4 de março de 2010

Primeiro post

Para quem ainda não sabe, eu sou piloto de kart.

Participo da Copa São Paulo de Kart, na categoria Parakart.

E no próximo sábado, dia 6 de março, terá início a temporada 2010. Estarei acelerando o meu kart nº 34 lá pelas 15h30.

Quem quiser prestigiar, pode comparecer ao Kartódromo Internacional Granja Viana (kartodromogranjaviana.com.br) ou então acompanhar a transmissão ao vivo através do site da Video Motor (videomotor.com.br).

A entrada no kartódromo é gratuita, e há competições durante todo o dia nas diversas categorias.

Conto com a torcida de vocês, tá? :)

Bem Vindos

Oi amigos e amigas...

Quem pensou que eu fecharia meu perfil no Orkut e simplesmente desapareceria do mapa, se enganou... hehehe

Claro que eu daria um jeito de manter o contato, e esse é o motivo deste blog.

Postarei aqui sempre que tiver alguma novidade pra contar, e vocês poderão interagir comigo deixando seus comentários nos posts.

Sejam bem vindos e façam uma visitinha sempre que puderem, ok?

Grande abraço e até depois. :)